Back to top.
Loading...

dontstopthistrem:

Mayerfans, agora que o JOHN reafirmou sua vontade de voltar ao BRASIL, precisamos fazer com que as produtoras nos vejam!

Entre no Twitter e publique um tweet assim:
"@JohnMayer @AtomFactory @tystiklorius @kenthebutler @TF7oficial @No_de_rosa WATCH THIS!#JOHNMAYERinBeloHorizonte https://www.youtube.com/watch?v=9hAGhVOx1CY

04.20.14 1

josuenarcissim:


PG’s 1-4
+ WG SUB NO.4 (lost the other pg’s sorry)

Walt Grace’s Submarine Test, January 1967 -(sketch)

03.14.14 83
Zoom dontstopthistrem:

#TrioIsBack
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=641381312595931
01.24.14 5
Zoom
01.09.14 63
Zoom dontstopthistrem:

Reblog!
12.14.13 3
Zoom
11.30.13 2
Zoom dontstopthistrem:

Como prometido, vamos falar sobre o projeto do vídeo que faremos com a ajuda de VOCÊS.Queremos chamar a atenção de todas as pessoas que estão envolvidas em uma possível vinda do John para MG, como produtoras, empresário, e até mesmo o próprio John. Pensando nisso, decidimos que nada seria melhor do que fazer um VÍDEO, em que os próprios FÃS apareçam, pedindo pela vinda do nosso ídolo a BH.O vídeo vai funcionar assim: vamos filmar alguns lugares característicos de Belo Horizonte, e fazer uma super montagem para que as fotos que VOCÊS vão mandar apareçam, pedindo para o John fazer um show aqui. Também vamos colocar outras coisas MUITO legais, que não podemos contar até tudo ficar pronto, pra não estragar a surpresa Qualquer fã pode participar, do Brasil inteiro, e você não precisa ser de Minas Gerais. Para mandar uma foto, abuse da criatividade. Pode ser de você segurando um cartaz, um desenho, uma vasilha cheia de pãezinhos de queijo… A única exigência é que uma das frases a seguir esteja escrita em algum lugar (não vale escrever por cima da foto pelo computador):- Don’t Stop This TREM- John, we’ll never stop this TREM!- JMinBH- John, Belo Horizonte waits for you!- JM, come to Belo Horizonte!- John, we want you in Belo Horizonte!- Belo Horizonte wants Mayer (ou John Mayer, ou JM)!Depois basta mandar um email pra gente com a sua foto, dizendo o seu nome/ Twitter/ ou como você quer que te identifiquemos no vídeo: dontstopthistrem@gmail.comVocê pode enviar a foto até o dia 9 DE DEZEMBRO! Então fique atento para não passar da data, afinal, queremos que os fãs participem em peso!E ainda queremos saber: há algum lugar em Belo Horizonte que vocês achem que mereça ser mostrado? Queremos mostrar como a nossa cidade é única, bonita e um ótimo lugar para se fazer um show, então esperamos por sugestões aí nos comentários, já que os locais ainda não estão definidos.Aguardamos ansiosamente para receber as fotos, para podermos montar o vídeo e espalhar por aí, até que chegue ao pessoal do John!Mais uma vez, muito obrigada pelo apoio, e não se esqueçam de chamar os amigos pra participarem também!#DontStopThisTREM

https://www.facebook.com/johnmayerminas

dontstopthistrem:

Como prometido, vamos falar sobre o projeto do vídeo que faremos com a ajuda de VOCÊS.

Queremos chamar a atenção de todas as pessoas que estão envolvidas em uma possível vinda do John para MG, como produtoras, empresário, e até mesmo o próprio John. Pensando nisso, decidimos que nada seria melhor do que fazer um VÍDEO, em que os próprios FÃS apareçam, pedindo pela vinda do nosso ídolo a BH.

O vídeo vai funcionar assim: vamos filmar alguns lugares característicos de Belo Horizonte, e fazer uma super montagem para que as fotos que VOCÊS vão mandar apareçam, pedindo para o John fazer um show aqui. Também vamos colocar outras coisas MUITO legais, que não podemos contar até tudo ficar pronto, pra não estragar a surpresa 

Qualquer fã pode participar, do Brasil inteiro, e você não precisa ser de Minas Gerais. 

Para mandar uma foto, abuse da criatividade. Pode ser de você segurando um cartaz, um desenho, uma vasilha cheia de pãezinhos de queijo… A única exigência é que uma das frases a seguir esteja escrita em algum lugar (não vale escrever por cima da foto pelo computador):

- Don’t Stop This TREM
- John, we’ll never stop this TREM!
- JMinBH
- John, Belo Horizonte waits for you!
- JM, come to Belo Horizonte!
- John, we want you in Belo Horizonte!
- Belo Horizonte wants Mayer (ou John Mayer, ou JM)!

Depois basta mandar um email pra gente com a sua foto, dizendo o seu nome/ Twitter/ ou como você quer que te identifiquemos no vídeo: dontstopthistrem@gmail.com

Você pode enviar a foto até o dia 9 DE DEZEMBRO! Então fique atento para não passar da data, afinal, queremos que os fãs participem em peso!

E ainda queremos saber: há algum lugar em Belo Horizonte que vocês achem que mereça ser mostrado? Queremos mostrar como a nossa cidade é única, bonita e um ótimo lugar para se fazer um show, então esperamos por sugestões aí nos comentários, já que os locais ainda não estão definidos.

Aguardamos ansiosamente para receber as fotos, para podermos montar o vídeo e espalhar por aí, até que chegue ao pessoal do John!

Mais uma vez, muito obrigada pelo apoio, e não se esqueçam de chamar os amigos pra participarem também!

#DontStopThisTREM

https://www.facebook.com/johnmayerminas

11.09.13 6
Zoom
11.02.13 8
Zoom
11.01.13 4
Zoom
11.01.13 12
Artist: John Mayer
Song: Lay Down Sally (Live)
Album: Live
Plays: 49
audio

dontstopthistrem:

Eric Clapton’s ‘Lay Down Sally’ Cover.

Houston, TX

10.31.13 7

strongasanox:

Some pages from the John Mayer World Tour 2013 Official Program! Simply beautiful

10.22.13 243
Zoom @johnmayer @mrjcmayer Ben follows us! Now we are waiting for you to do the same ;) Please, come to Belo Horizonte, Brazil, on your next tour ♡ #MayerIsBack #JohnMayer (em Belo Horizonte, Brasil)

@johnmayer @mrjcmayer Ben follows us! Now we are waiting for you to do the same ;) Please, come to Belo Horizonte, Brazil, on your next tour ♡ #MayerIsBack #JohnMayer (em Belo Horizonte, Brasil)

10.20.13 0

Há um mês, #JohnMayer estava no Brasil. Agora contemos os dias para que ele venha fazer o mesmo em #BeloHorizonte #MayerIsBack #MayerComeBack @JohnMayer @Mrjcmayer

10.20.13 1

dontstopthistrem:

Continuação do relato que está na nossa página: https://www.facebook.com/johnmayerminas

Foi então que as luzes se apagaram novamente, os gritos aumentaram, e eu vi mais pessoas entrando no palco, entre elas uma silhueta de um cara alto, dando tchau, passando bem ali onde eu estava e indo até o centro do palco para pegar o violão. “No Such Thing” ecoou pela Arena Anhembi e as luzes se acenderam para mostrar aquela cena linda. Balões com as cores do Brasil voando e estourando para todos os lados… As lágrimas desceram dos meus olhos no mesmo momento. Era ele. E aquela música… Eu simplesmente não tinha estruturas. Tudo passou: a fome, o frio, a dor nas costas e nos pés… Até a garoa parou. Agora tudo era como num sonho perfeito. Eu estava dentro de um dos meus DVDs.

O John estava radiante. A banda também. Todo mundo estava com os olhos brilhando naquele show, do início até o fim. As palminhas em “Wildfire”, a riqueza de “Queen Of California” (minha paixão), todas as lembranças que “Half Of My Heart” me trouxeram, “Paper Doll”, “I Don’t Trust Myself”, “Slow Dancing” e “Going Down The Road Felling Bad”.

Depois começou a sessão acústica. “Your Body Is A Wonderland”, “Daughters”, “Free Fallin’”. “Daughters” foi um dos momentos mais emocionantes. Eu não imaginava que ele tocaria essa música, e foi muito especial naquela noite, porque foi a primeira música do John que eu ouvi. Foi a música que fez com que eu procurasse saber mais sobre o trabalho dele. Meus olhos se encheram de lágrimas novamente (na verdade eu não parei de chorar durante todo o show), e foi nesse momento que John olhou na minha direção, e pude pela primeira vez olhar nos seus olhos. Foi mágico.  

Quando ele largou o violão e foi logo pegando a sua guitarra, começamos todos a gritar “Stop This Train! Stop This Train! Stop This Train!”. John parou, tirou a guitarra, mandou um beijo para a plateia, e voltou a pegar o violão, começando a tocar aquela música tão cheia de significados. Mais emoções. John sorrindo, agradecendo, mandando beijo… Até hoje eu não sei como consegui sobreviver a isso.

Depois de “Waiting On The World To Change”, John disse que tocaria uma música do Paradise Valley. Quando todos cantaram as primeiras palavras com ele (“Dear Marie…”), sua expressão foi de surpresa, e ele soltou um “own”, como se não imaginasse que saberíamos cantar uma música de um álbum que havia sido lançado há apenas um mês. Seus olhos se encheram de lágrimas, e ele parecia estar num momento de transcendência, não sei. Algo forte se passava pelo coração dele. Parecia que ele estava esperando por isso há muito tempo. Tínhamos dado um presente pro John, e o momento foi inexplicável. Ninguém conseguiu entender muito bem o que se passava. A banda estava encantada.

No final da música, ele parou por uns 10 segundos, curvado, olhando para a plateia com as mãos no rosto, como se estivesse pensando “não acredito nisso!”. Ele estava admirado. Disse que estava com medo de que suas músicas não fossem mais tão bem aceitas pelas pessoas, que estavam acostumadas com seu outro estilo musical, mas que provamos para ele, abraçando aquela canção, que ele estava errado. Disse que nunca se esqueceria daquele momento. “That’s… That’s unbelievable! Unbelievable…”, ele disse para a banda, apontando para o público.

Ao final de “Something Like Olivia”, John disse que quando tinha 19 anos, tocava guitarra sozinho em seu quarto, e imaginava que se apresentaria para um pequeno grupo de pessoas, mas que nunca imaginou que chegaria a tocar em São Paulo para 35.000 pessoas. Ele riu e entramos no clima de “Wheel”. Dez minutos de música. Um John imerso num solo de guitarra, sentado próximo à bateria. Quando terminou, todos estavam gritando “I love you!” em coro, e ele “I LOVE YOU! I LOVE YOU!”. Foi nesse momento que ouvimos: “Quer saber, eu acabei de decidir que vou voltar todos os anos, em todas as minhas turnês!”.

Então veio “Who Says” (“It’s been a loooong night in São Paulo too…”), e uma das mais mágicas da noite, “If I Ever Get Around To Living” (a que eu torcia para que não faltasse, e não faltou). Outra música que foi adicionada e não estava na setlist inicial, devido aos pedidos enlouquecidos da plateia, foi “Why Georgia”.

John saiu do palco, e voltou tocando “Neon”. Só ele e seu violão, com toda aquela técnica inacreditável, talvez até melhor que na versão do “Where The Light Is”. E pra terminar (é claro), “Gravity”, com o solo no chão e tudo mais.

Nós não queríamos ir embora. Tenho certeza de que eles também não. John pegou a bandeira do Brasil que estava na beirada do palco e a estendeu agradecendo pela milésima vez. Zane começou a jogar as palhetas e eu pedia por uma (ele é um fofo, não parava de sorrir olhando pra gente). Ele tentou jogar pra mim, mas foi parar lá atrás (todos choram). Um dia eu ainda vou conseguir, Zane, quando vocês vierem pra BH (amém).

Eles saíram, passando pela minha frente novamente. As luzes da plateia se acenderam e aquele palco vazio e triste apareceu, como se tudo tivesse sido um sonho, um sonho que deixou todos na esperança de mais uma música, certos de que ele vai voltar logo. Ele nos amou. Ele nunca vai se esquecer da promessa, tenham certeza disso.

John, agora vem pra BH.

Estamos esperando por você!

Jane

#DontStopThisTREM

#1mesJMnoBrasil

10.19.13 3